domingo, 30 de outubro de 2011

preciso me encontrar.
no caminho vou desenhando mapas, colocando placas para que você me encontre também.
estou perdida. acho que esse é um dos motivos que fez nós nos perdermos um do outro.
não me sinto bem comigo, alguma coisa dentro de mim me diz que estou no caminho errado.
sinto que estou perdendo tempo com bobagens. atitudes erradas, pessoas erradas, escolhas erradas.
nunca me senti tão pouco eu. parece que alguém se apoderou do meu corpo e levou meu eu embora.
preciso me encontrar.
onde será que estou? talvez no lugar onde eu quisesse estar, aí bem perto de você, te abraçando e você nem vê.
enquanto isso esse alguém está morando nos meus braços, pernas, boca e palavras que se atropelam e me atrapalham no caminho de volta.
esse alguém é sem graça, inconveniente e incômodo e sinto que as pessoas pensam isso de mim, mas essa não sou eu. dá vontade de gritar: "EI, ESSA NÃO SOU EU! NÃO DÊ ATENÇÃO AO QUE DIGO!"
ou talvez seja. e é isso que me deprime.
será que sempre fui assim e só agora percebi isso e comecei a me incomodar?
se é isso, quero desesperadamente mudar! quero inventar outro caminho. talvez precise de outro caminho, talvez precise que você não me siga.
queimo as placas, rasgo o mapa. volto ao ponto inicial.
preciso me perder.

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

domingo, 2 de outubro de 2011

minha face oculta de lua

lua nova, um sorriso reluzente.
é noite de céu limpo.
posso ver o contorno de sua face oculta.
acho que só percebe quem sabe como é sorrir por fora dissimulando escuridão.
anseio pela lua cheia de completa clareza pacífica, mas passo por todas as fases.
minha face oculta é de lua.